Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

Arquivo da Categoria ‘Arte’

Artista transforma a própria mão em suporte para suas pinturas

domingo, 5 de julho de 2015

 

O corpo é uma das primeiras telas do ser humano – nós, mães, sabemos que é só deixar nosso filho com um giz por perto para que ele comece a rabiscar a mãozinha, o braço… Um californiano levou essa brincadeira a uma nova dimensão e a transformou em arte.

 

 

Russel Powell se inspirou no processo de confecção de gravuras para fazer da própria palma da mão um carimbo. Sim, ele faz pinturas incríveis, principalmente retratos, em seu próprio corpo e depois “carimba” a arte no papel.

 

 

Além dos detalhes tridimensionais impressionantes que consegue por conta das pinceladas que mesclam luz e sombra, suas obras ganham em interesse por conta da textura de suas digitais e da silhueta de seus dedos.

 

 

É bonito e estranho ao mesmo tempo, não? Para ver mais, é só entrar no Instagram de Russel Powell clicando aqui.

Encanto e realidade se unem em projeto de ilustração

sexta-feira, 3 de julho de 2015

 

 

Sexta-feira tem ou não um gostinho especial de sonho, de inesperado, de ansiedade pelo que está por vir? Por conta desse clima, escolhi dividir hoje com vocês o trabalho do iraniano Rasoul Shokrani.

 

 

Com muita delicadeza e uma pitada de alma de criança, ele mostra a sua percepção de cenas da realidade fazendo intervenções com ilustrações simples e divertidas. O mais impressionante? Tanto as fotos quanto os desenhos são feitos pelo celular.

 


 

Nesse contexto, bailarinas ganham palcos nunca imaginados, lápis fazem traços travessos na neve e até um rinoceronte ganha a habilidade de voar. “Tento aumentar a sensação que cada local dá ao observador. Se você olhou alguma dessas ilustrações e simplesmente sorriu, eu alcancei meu objetivo”, disse Shokrani ao site “Bored Panda”.

Deixe-se levar pelo poder da literatura. A Flip começou!

quinta-feira, 2 de julho de 2015

 

Se você se permitir verdadeiramente embarcar em um livro, ele pode te fazer viajar para lugares, realidades e culturas nunca imaginadas. Sim, a literatura tem esse poder quase mágico, mas para que o encanto funcione ela precisa do interesse dos leitores. E, para fomentar esse desejo pelas palavras é necessário divulgar e celebrar mais as obras e os autores.

 

 

Esse é um dos grandes méritos da Festa Literária Internacional de Paraty, que iniciou sua 13ª edição na noite de ontem. Como de costume, o evento tem como homenageado um autor brasileiro e, dessa vez, o escolhido foi o modernista Mário de Andrade.

 

Além de debates e leituras sobre o festejado escritor nacional, outros nomes da literatura também marcam presença na festa, que vai até o próximo domingo (5). Entre eles, alguns dos mais comentados são Leonardo Padura, autor de “O Homem que Amava os Cachorros”; o queniano Ngugi wa Thiong’o, que pode ganhar o Nobel de Literatura; e o australiano Richard Flanagan, vencedor do Man Booker Prize 2014.

 

 

Já deu para ver que a programação é vasta para os adultos, não é? As crianças, no entanto, também têm espaço nessa festa com a Flipinha. E nada melhor para formar uma geração de leitores do que incentivar o gosto pela leitura nos pequenos.

 

A melhor notícia é que mesmo quem não pode curtir o evento na charmosa cidade do Rio de Janeiro tem a chance de acompanhar os principais painéis ao vivo pela internet. Para isso, basta clicar aqui.

 

E para saber mais sobre a Flip, a venda de ingressos e a programação, clique aqui.

 

Artista transforma velhas portas em murais expressivos

quarta-feira, 1 de julho de 2015

 

 

Hoje é o primeiro dia do segundo semestre de 2015. Uau, o tempo passa voando mesmo. E, apesar de não ter a mesma força de um réveillon, 1 de julho pode simbolizar sim um recomeço. Para isso, nada melhor do que organizar a vida, manter o que está dando certo e transformar o que não vai tão bem assim em novos planos.

 

 

É isso que o belga Stefaan De Croock faz em sua arte: ele pega portas e móveis que já não tinham a serventia de antes e faz desses objetos partes de murais de tirar o fôlego. O mais interessante é que o artista não muda a cor ou a textura dessas peças, e a explicação para isso é muito interessante. “Gosto de trabalhar com madeira descartada. É como uma pegada do tempo”, falou ao site “Bored Panda”.

 

 

Também chama a atenção que no projeto, intitulado Strook, Stefaan reproduz silhuetas humanas que oscilam entre a força e a fragilidade. Já viu quantos paralelos dá para traçar entre a arte e o nosso cotidiano? Inspire-se e transforme até os momentos mais difíceis da sua vida em pedacinhos de um novo e melhor capítulo da sua história.

 

O mundo como cenário e estampa

quinta-feira, 25 de junho de 2015

 

 

Às vezes a realidade pode ser muito mais dura do que pensamos poder aguentar. Mas em certos momentos ela também se apresenta com leveza e, como mostra o trabalho do artista visual e ilustrador de moda jordaniano Shamekh Bluwi, esse novo olhar depende da criatividade pessoal.

 

 

Conhecido por suas ilustrações de moda, ele teve a ideia de integrar o mundo às suas criações. Para isso, depois de desenhar os modelos – principalmente de vestidos de festa –, Shamekh recorta o interior das peças e as fotografa nos mais diversos cenários: é assim que prédios altíssimos, o trânsito, casas e mosaicos se tornam estampas tão inusitadas quanto belas.

 

 

Integradas ao mundo fashion, paisagens do cotidiano ganham dimensões artísticas e até uma pitada de glamour. Vale ou não a pena ver o universo ao seu redor com outros olhos e descobrir beleza onde a pressa não encontra?