Daqui Dali

Um pouco do mundo, um mundo de coisas. Da vida, da sua e da minha. DAQUI E DALI.

Arquivo da Categoria ‘Arte’

Entre no mundo de Miró

sexta-feira, 29 de maio de 2015

 

Que tal ver de pertinho o intenso colorido e a simplicidade extremamente complexa do trabalho de Joan Miró? O Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, abriga desde domingo (24) a maior exposição sobre o espanhol já realizada no Brasil.

 

 

E os números impressionam: são 41 pinturas, 22 esculturas, 20 desenhos, 26 gravuras e três objetos que foram base para esculturas. Para facilitar a imersão no universo do artista, tudo isso está organizado segundo etapas fundamentais em sua cronologia.

 

 

A inicial foca nas décadas de 30 e 40 e impressiona com pinturas e desenhos produzidos na época da Guerra Civil Espanhola e da Segunda Guerra Mundial. A segunda, com obras do período entre 1950 e 1960, tem como destaque as esculturas. A última etapa, por sua vez, revela as gravuras feitas por Miró nos anos 1970.

 

Não vai ter tempo nesse fim de semana? Programe-se, Joan Miró – A Força da Matéria fica em cartaz até 16 de agosto. Para mais informações, acesse o site do Instituto Tomie Ohtake.

O jovem e colorido graffiti da terceira idade

quinta-feira, 28 de maio de 2015

 

 

Um projeto português fez a internet sorrir ao colorir – literalmente – os dias de idosos: três anos após sua criação, o Lata 65 ganhou destaque mundial por promover workshops de stencil e graffiti para pessoas da terceira idade.

 

 

Antes de sair às ruas de Lisboa, os interessados aprendem um pouco sobre a história da street art, descobrem como usar os elementos desse universo e criam suas próprias tags. Depois, o grupo parte para muros e áreas da cidade que merecem um pouco mais de vibração e deixa a sua marca.

 

 

Quer saber mais? Em sua página no Facebook, o Lata 65 conta que uma de suas missões é “demonstrar que a arte urbana tem o poder de fomentar, promover e valorizar a democratização do acesso à arte contemporânea pela simplicidade e naturalidade com que atinge as mais variadas faixas etárias”. Mais do que isso, o projeto encanta por levar diversão, criatividade e a possibilidade de fazer amigos e ter novas experiências aos mais velhos.

 

Pelas fotos divulgadas dos encontros é possível ver que ao menos um dos objetivos o grupo já alcançou: “demonstrar que a idade é apenas um número”.

Ilustrações explicam palavras sem tradução

quarta-feira, 20 de maio de 2015

 

Dizem que uma imagem vale mais do que mil palavras. E essa máxima é quase perfeita para explicar o bem-humorado trabalho da ilustradora Marija Tiurina: ao perceber que certos vocábulos não encontravam tradução para o inglês, ela decidiu transformar o significado deles em charmosos desenhos.

 

A série especial da artista recebeu o nome de “Untranslatable Words” (Palavras Intraduzíveis) e compreende 14 palavras em alemão, norueguês, japonês, francês, espanhol e até em português.

 

 

Pois é, para a gente é fácil entender o que é um cafuné, mas Marija facilitou a vida de quem não fala o idioma ao ilustrar esse gesto de carinho.

 

Quer ver mais?

 

 

Do árabe: quantidade de água que pode ser segurada com as mãos.

 

 

Do espanhol: o misterioso poder que uma obra de arte tem de emocionar profundamente uma pessoa.

 

 

Do ídiche: pessoa cronicamente sem sorte.

 

 

Do ídiche: se refere aos sonhadores. Literalmente significa “pessoa aérea”.

 

 

Do alemão: o medo de que as oportunidades diminuam enquanto a idade aumenta.

 

 

Do alemão: sensação de prazer vinda da desgraça alheia.

 

 

Do francês: “o chamado do vazio” é a tradução literal dessa expressão, mas ela é usada para descrever o impulso instintivo de pular de lugares altos.

 

 

Do sueco: seria a terceira vez que você repete algo, ou quando pede o segundo refil.

 

 

Do norueguês: qualquer coisa e tudo que puder ser colocado entre duas fatias de pão.

 

 

Do japonês: ficar pior depois de um corte de cabelo.

 

 

Do japonês: uma garota bonita, contanto que seja vista de costas.

 

 

Do japonês: uma mãe que constantemente fica em cima dos filhos para que eles tenham bom desempenho na escola.

 

 

Do pascuense: o ato de pegar seus objetos favoritos da casa de um amigo, gradualmente, pedindo cada um deles emprestados.

 

 

Simplicidade e lúdico se unem em fotografias encantadoras

sábado, 16 de maio de 2015

 

 

O fim de semana é perfeito para desacelerar e, sem a pressa que acompanha a rotina diária, conhecer novos lugares, aproveitar pequenos prazeres e até se permitir ver o mundo com olhos de criança. E esse é o maior encantamento do trabalho da fotógrafa Peechaya Burroughs: transformar elementos do cotidiano em imagens lúdicas, cheias de imaginação e poesia.

 

 

Mãe de duas crianças e atualmente vivendo na Austrália, ela conta que seu trabalho é movido por memórias da infância. “Sou fascinada pela imaginação das crianças e sua estranheza. A direção da minha fotografia é leve, fácil de se aproximar com um pequeno toque de otimismo diário”, escreve em seu site.

 

 

Além de trazer uma gostosa sensação de sonho, o trabalho de Peechaya pode ser aquela inspiração que faltava para você fotografar seus filhos em cenários nunca imaginados. Afinal, para começar só é necessário papel para dobradura, alguns barbantes e muita imaginação. Tente!

 

O outro lado dos gênios da arte

terça-feira, 12 de maio de 2015

 

Ao apreciar as pinturas e esculturas dos grandes artistas do século 20, a gente pode imaginar que suas vidas foram tão exóticas e geniais quanto suas obras. E, claro, todos tiveram experiências únicas, conheceram pessoas e países diferentes, mas nem tudo é glamour, não é?

 

E essa é a graça de uma série de fotos garimpada nos arquivos do Smithsonian Institution: mostrar nomes como Pablo Picasso e Frida Kahlo longe de seus estúdios e de suas criações. Nas imagens, eles surgem ao junto da família, em momentos descontraídos e até na praia.

 

A fascinação causada por esse lado “gente como a gente” é tamanha que o compilado se transformou livro “Artists Unframed”, que deve ser lançado nessa terça-feira, de acordo com o jornal The Guardian. Quer ver algumas das fotos?

 

 

Nessa imagem, no início dos anos 1940, os pintores Frida Kahlo e Diego Rivera surgem na cama. Kahlo, que sofria com muitas dores, ficava muito tempo no quarto, onde passou a fazer seu trabalho.

 

 

Você já deve ter visto algum dos quadros de Pablo Picasso, mas e o lado paizão dele? É assim, com um sorriso largo e ao lado da filha, Maya, e do cachorro que ele aparece nessa fotografia.

 

 

Jackson Pollock, famoso por sua obra abstrata, também teve seus momentos concretos e de tarefas familiares, como cortar um peru antes de uma refeição.

 

 

Andy Warhol, o excêntrico gênio da Pop Art, curte uma praia de Nova York ao lado de uma amiga. Pelo figurino, ele não parece muito à vontade na areia, né?